BLOG DO WILLIAM FERNANDES | Members area : Register | Sign in

Total de visualizações de página

...

...

Fotos do facebook

yes

yes

Política - Chapadinha

domingo, 9 de novembro de 2008

Compartilhe esta história em:

Blog Lazer &Labor


ESTADO DEMOCRÁTICO, MAS

DE DIREITO, NÃO ESQUEÇAM! (*)

“O fato é público. Não se pode esconder. Merece análise para que se encontre normalidade e não se engordem emoções. Chapadinha virou notícia nos jornais e nos programas de TV do Estado. Aqui nota-se um ambiente pesado. Horrível! Há quem não se conforme em perder depois de ganhar nas urnas. Há quem exulte em ganhar depois de ter perdido no número de votos. Todos tentam esticar ao máximo as desculpas e a esperança de governar o Município. O que se passou? Porquê acontece isto?

O Brasil vive em democracia. Certo. O povo é soberano e elege seus representantes em voto direto, livre, secreto e periódico. Certo. Muito certo. Só que me parece que estamos esquecidos que vivemos em um estado democrático, mas de direito. Brasil não é uma República Popular de Regime Totalitário, em que um só ou poucos têm poder absoluto. Resolvem as coisas como querem. Não. É preciso que todos compreendam que Brasil não é isto. Brasil é uma República Federativa de Regime Democrático de Direito. Tem leis. Rege-se por leis devidamente aprovadas, publicadas e que têm valor para todos. Por isso temos uma Constituição feita numa Assembléia Constituinte votada e promulgada.

Quando começou a Campanha Eleitoral havia candidatos que estavam sob ameaça de sentença que os tornaria inelegíveis. Claro que estes não se deviam poder candidatar. Mas o processo democrático, em qualquer parte do mundo, é progressivo. Também entre nós. As leis e suas aplicações vão surgindo por conquista. Ainda faltam leis para um estado democrático mais perfeito. Por exemplo: ainda não há leis que proíbam as pessoas condenadas, em primeira instância, de concorrer. Podem concorrer, mas adiando sua sorte até os tribunais darem sentença em última instância. Fica tudo pendente até essa decisão final que vai ter efeitos retroativos. Ela é que vai dizer se o candidato se podia ter candidatado ou não. Se sim, tudo aceite. Se não, tudo destruído. Não houve candidato. Tudo inutilizado. Os votos que ganhou ficaram perdidos. Candidato e eleitores trabalharam em vão.

Em Chapadinha, um candidato esteve nestas condições. Confiou ou alguém o convenceu a confiar na sua inocência ou no "quebra galho" de influências na justiça. Infelizmente, isso às vezes ainda funciona. Questão de sorte! Pode acontecer. Quase sempre acontece. Mas nem sempre. "Tantas vezes vai o pote à água até que um dia pode quebrar". Querendo ser candidato confiou tanto que nem colocou substituto. Confiança exagerada ou esquecimento lamentável? - Não sabemos. O que se sabe é que aconteceu o que ele não esperava. De quem é a culpa? - Dele mesmo. Confiou, arriscou tudo e depois... tudo perdeu.

Cada um deve assumir as responsabilidades que tem. O povo também. Não podemos pensar que estamos acima das leis. Temos que nos sujeitar ao poder das leis. E quem aplica as leis é o poder judiciário. Estamos vivendo em um estado democrático, mas de direito. Não popular totalitário. É tempo de enterrar lamúrias e deixar reinar a paz. Para se continuar... fazendo o que não foi feito. Também é bom não esquecer isto”.

(*) FONTE: in Vida Nova - Boletim Formativo e Informativo das Paróquias de Chapadinha e Mata Roma // DIRETOR – Manuel Neves // DIRETOR-Adjunto – Pedro José; N°32 - 09/11/2008, p. 4.

Obrigado por nos visitar, tem uma pergunta? Contato : wfmirante@hotmail.com.
Por favor, deixe o seu comentário abaixo. Obrigado e espero que tenha gostado ...

0 comentários:

Postar um comentário

Atenção! Comentários abusivos e desrespeitosos serão deletados. Nem tente.

Curtir

INAUGURAÇÃO DO NOVO PARAÍBA DE CHAPADINHA